[ editar artigo]

Proven Innocent - S01E05 - Cross To Bear - Review

Proven Innocent - S01E05 -  Cross To Bear - Review

Proven Innocent tem de fato tentado provar que veio para ficar. A série começou devagar, mas a cada episódio que passa tenta garantir o seu lugar dentre as séries existentes do mesmo gênero. Nesse episódio, o nosso time encara uma tarefa difícil: Tentar tirar da prisão um ex-supremacista branco, atualmente reformado. Ronnie Petersen foi acusado de bombardear uma sinagoga após não querer ajudar a Falcone, um detetive corrupto da polícia, que é o verdadeiro alvo do nosso time. Após Nick, irmão de Ronnie, aparecer no escritório procurando um advogado (ri muito do Bodie se passando por ninja) o time tem em suas mãos uma escolha: Ser a equipe de advogados que, aos olhos do público, será responsável por tirar da cadeia um racista acusado de bombardear uma sinagoga. A controvérsia já vem de dentro. Violet é contra a decisão (falaremos mais da Violet adiante, ela brilhou nesse episódio), Easy também é contra a decisão, mas em razão de um bem maior está disposto a ir além de seus próprios limites e é questionado por isso, até mesmo por sua família, porém acredita que com essa vitória, poderá livrar da prisão muitas outras pessoas inocentes. Falcone, o violão real desse episódio, é um detetive corrupto que foi o responsável pela condenação injusta de várias pessoas, que para tal pagava as testemunhas ou até mesmo as intimidava, como vimos com Dante Jordan. Seu nome é muito falado no episódio, porém ele aparece pouco, acho que ele poderia ter aparecido mais, porém pelas histórias podemos ver que ele era realmente um merda. Lembrando que no início do episódio Madeline acaba presa por conta de uma perca no Tribunal para Falcone. Eu achei hilário. Madeline é dura na queda, a prisão não a assusta, mas gostei da exploração dos roteiristas a esse lado duro dela que já conhecíamos e ficou mais evidente aqui.

Madeline, então, propõe a Easy que visitem a Ronnie na cadeia, o que não deixa Violet nem um pouco contente, mas eles eles não garantem nada. Querem apenas conhecer Ronnie de perto, ver se é verdade tudo que foi dito a seu respeito. E deixe-me abrir um parenteses aqui. Eu gostei do Ronnie. Tanto do ator, quanto do personagem. Talvez seja pelo fato de eu curtir esse lance de redenção, ele realmente vendeu a imagem para mim. Eu acreditei nele. Por isso fui surpreendido quando ele partiu para cima do Easy no Tribunal, fiquem com receio de ele fazer merda ali e estragar tudo, o que não aconteceu. Mas foi tudo bem, o time aceitou fazer sua defesa e foi uma ótima escolha no final.

Agora vamos falar da Violet. Ah, a Violet. Ela foi maravilhosa nesse episódio! A atuação da Nikki foi perfeita, tão perfeita que é a minha personagem preferida daqui para frente. E esse figurino, produção? Eu tinha que comentar isso! Ela ficou simplesmente maravilhosa naquele look que aparece ao conversar com Madeline.

 Nesse episódio também tivemos um desenrolar na história paralela. Descobrimos (ou não) quem foi o verdadeiro assassino de Rosemary. Eu não sou muito bom em descobrir o assassino naqueles filmes e séries de suspense, porém o fato de ter acontecido o que aconteceu na última cena, deixa um leque bem aberto nessa questão. Tem tudo para ter sido ele. Foi? Saberemos nos próximos episódios. Vimos também uma parceria inusitada nesse episódio. Fala sério, vocês não iriam imaginar Violet fazendo um acordo com Bellows, iriam? Eu não esperava, mas também gostei dessa parceria. Bellows parece ser uma pessoa segura, firme, e de bom coração. Ele realmente acha que Madeline e Levi mataram a Rosemary, mas quando ele descobrir que não foi esse o caso, acabará mudando a visão de quem o acha um saco. Eu também gostei muito dele nesse episódio e até meio que torci para ele ganhar a corrida para Procurador-Geral.

O episódio se desenvolve e nosso time perde o que achávamos até então que seria a resolução de todo o conflito, a testemunha que iria expor Falcone. De novo o mesmo consegue vencer mandando seus comparsas prenderem Dante Jordan. Porém a resolução vem por um "ângulo diferente" sugerido por Easy. Tentar encontrar um policial que não seja fã de Falcone. E quem perde com isso para fazer com que o time tenha êxito? O Bodie. Tadinho. Quando o Easy mencionou isso eu já imaginei que iria acabar sobrando para a namoradinha dele. Através dela descobriram o policial que foi parceiro de Falcone por 11 anos e meio, David Moss, que conseguiu fraudar o INSS para receber por uma deficiência que não existe.

Bodie perdeu a namorada por isso, uma pena, os dois são tão fofos juntos! Mas espero que ele a reconquiste nos próximos episódios, ao contrário daquele jornalista oportunista. Como sempre David Alpay pegando os papéis mais chulos nas séries. Tomara que ele tome uma bolada aqui como tomou da Donna em Suits, torço para ele não quebrar o coração da nossa protagonista, mas não sei não. Prefiro muito mais que a nossa ruiva fique com a misteriosa da cadeia, gostei muito delas juntas.

Levi fez a primeira boa ação nesse episódio, encontrou o possível assassino de Rosemary, Toby Kissell, um estudante que foi responsável por vender Aderall para os jovens da época e ficava com Rosemary. Segundo a teoria de Levi, Rosemary iria dedurá-lo e por isso Toby a teria matado. O suicídio do final realmente sugere que isso seja verdade, mas deixa um gancho para os próximos episódios. Seria ele mesmo o assassino, mas torna ainda mais difícil provar a inocência de Levi e Madeline por ter se suicidado? O que mais pode desenrolar nessa história? Qual seria o próximo passo para provar a inocência dos dois?

 

Comunidade TV
Silnei Soares
Silnei Soares Seguir

Paulista, 25 anos, moro em Artur Nogueira/SP. Sou fanático por séries e filmes desde que Smallville passava no SBT. Sou cristão, legender, músico, produtor musical, engenheiro de edição de áudio e estudante de Direito.

Ler matéria completa
Indicados para você